Entretenimento e a arte de reinventar a roda by Luiz Calainho

12/07/2013

 

reinnventar a roda

No Rio Content Market 2013 (evento focado para o marketing de conteúdo multiplataforma) e como na maioria dos eventos, a palestra final precisa ser chamativa, envolvente e divertida, já que, como próprio nome diz, ela finaliza dias intensos de reuniões, conteúdos, networking. Decidiram por bem ter um painel sobre Entretenimento com nomes como João Marcelo Boscoli (Gravadora Trama), Luiz Calainho (dono da holding L21), João Daniel(Mixer Produções) e Pedro Buarque (da Conspiração Filmes).

Iniciou-se falando de entretenimento com audiovisual e eis quando passaram a fala e apresentação para Luiz Calainho, além de utilizar toda a sua malemolência carioca, sua hiperatividade percebida pelas falas rápidas e aceleradas, mostrou na prática que a busca por caminhos alternativos, principalmente para envolver e encantar e divertir entre marcas e pessoas, é essencial para os dias atuais. Estamos em contexto multiplataforma, de economia da atenção, de geração infinita de informação. E a pergunta que fica é: Como chamar a atenção, apresentar e encantar as pessoas para aquilo que estamos dizendo, mostrando? Qual caminho desenhar e seguir em meio a todo este contexto?

O público quer conhecer, mas quer também participar, opiniar, sentir e vivenciar. É preciso promover e provocar a experiência e isso só é possível saindo fora da caixa e reiventando constantemente e todos os dias, a roda.

E uma boa forma de entender isso é com a palestra autobiográfica e inspiradora de Luiz Calainho:

Saiba mais

Desistir para ser Completamente FELIZ!

23/11/2012

Para fechar a semana de trabalho, projetos e já com um pé nos planos de 2013, encontramos este artigo que acreditamos ser IDEAL para uma mudança de olhar e atitude para o ano que se inicia. O original, em inglês, está aqui, mas damos uma forcinha, traduzindo e resumindo ele por aqui:

Para ser feliz, aprenda a DESISTIR …:

1. Da sua necessidade de estar sempre CERTO

Estar sempre certo. Isso definitivamente não vale a pena. Muitas vezes é mais questão de ego do que ter razão. Quando você sentir a necessidade “urgente” de entrar em uma briga sobre quem está certo e quem está errado, pergunte a si mesmo o seguinte:

“Eu preferiria ser a pessoa certa ou a pessoa gentil? Que diferença isso vai fazer? O meu ego é realmente grande desse jeito?”

2. Da sua necessidade de controle

Controlar tudo, todos, os momentos, o destino…Quem nunca? Alguns são mais outros menos, mas ter controle e razão (item anterior) é sempre algo que na maioria das vezes, ou melhor de forma contínua, é algo que poderíamos deixar de buscar. A não ser que você seja o discípulo direto do Cara lá de cima, o futuro e a perfeição ainda não é tua responsabilidade de vida. Permita que as coisas, as pessoas, os momentos SIMPLESMENTE aconteçam e veja a diferença. Menos stress e muitas vezes boas surpresas pela vida:

“Ao se desapegar, tudo se torna realizado. O mundo é vencido por aqueles que se desapegam. Quando você tenta e tenta, o mundo se torna mais do que vencer.” (Lao Tzu)

3. Da culpa

Quando a grama do vizinho é mais verde que a nossa, é por estamos deixando a nossa grama de lado, seja ela coisas ou sentimentos. Pare de dar seus poderes para outros e comece a assumir as responsabilidades da sua própria vida.

4. Da sua conversa interior derrotista

Há pessoas que transformaram suas mentes no local de maior reunião de pensamentos negativistas que se tem notícia. Nem as novelas mais mexicanas ou os programas mais sensacionalistas conseguem superar uma mente que repetidamente se coloca para a derrota? Saiba que você é beeem melhor que tudo isso, e acredite. Simples.

“A mente é um instrumento supremo se usada corretamente. Usada de maneira errada, no entanto, ela se torna muito destrutiva.” – Eckhart Tolle

5. Das suas crenças limitantes

Já dizia o grande Walt Disney: “Se você pode sonhar, você pode fazer.” A partir disso, esqueça tudo que dizem que é imPOSSÍVEL de fazer, aquilo que te paralisa, acredite fielmente e assim o faça.

Uma crença não é uma idéia presa pela mente, ela é uma idéia que prende a mente. – Elly Roselle.

6. De Reclamar

Acreditamos que isso não precise de explicação, mas vamos lá: Tudo na vida é uma questão de ponto de vista e principalmente, de como você ESCOLHE olhar e ATUAR em prol das pessoas, coisas e momentos. Ninguém pode fazer você infeliz, nenhuma situação pode fazer você triste ou miserável a não ser que você permita que isso aconteça. Antes de reclamar, veja como pode fazer, ser diferente e FAÇA.

7. Da luxúria das críticas

No mesmo caminho das reclamações, a crítica também dispensa comentários. Aceite as diferenças, conviva com elas e tire o que tem de melhor nisso tudo. Lembre-se que todos buscamos a felicidade e a aceitação afetiva de pessoas e coisas. E criticar não leva nada e nem ninguém a lugar nenhum.

 

8. De impressionar os outros

Olha a grama do vizinho atuando aqui de novo. Autenticidade é bem melhor que a cópia, tanto para pessoas como para coisas, por isso: para quê ser ou tentar ser/fazer algo que não é você? Quando você deixar que o seu Eu autêntico apareça, as pessoas serão atraídas NATURALMENTE por você, sem esforço algum. E serão essas pessoas que valerão a pena na tua vida.

Pare de pensar tão seriamente em ser algo que você não é somente pra fazer os outros gostarem de você.

9. Da sua resistência à mudança

Se você leu até aqui, podemos dizer que esta resistência não é tão forte, ou estamos conseguindo mudar este contexto. Veja bem, Mudar é bom, o que lhe permite melhorar, evoluir, movimentar.

“Siga o seu destino e o universo irá abrir portas para você onde antes só haviam muros.” – Joseph Campbell

10. Dos esteriótipos PRÉ-Conceituosos

Tudo aquilo ou aqueles (pessoas) que não conhecemos bem, ou não entendemos, criamos algum adjetivo para denominá-lo. Normalmente  vamos para coisas tipo“estranhos” ou “diferentes”. Pare com isso já e tente abrir sua mente, pouco a pouco.

A mais alta forma de ignorância é quando você rejeita algo sobre o qual você não sabe nada sobre.” – Wayne Dyer

11. Dos seus medos

Definido pelo Wikipedia: “Medo é uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental (interpretaçãoimaginaçãocrença) que gera uma resposta de alerta no organismo.”  Ou seja, na grande maioria das vezes é uma “invenção” nossa. É bom para nos proteger de algum mal, mas é também a causa pela grande ansiedade, stress e paralização desnecessária dos nossos pensamentos, atitudes e mudanças.

A única coisa que nós temos que temer é o próprio medo.” – Franklin D. Roosevelt.

12. Das suas desculpas

Desculpas esfarrapadas feitas para si e/ou para os outros por não ter feito algo…Quem nunca? Pois bem, Coloque-as em um pacote e diga a elas que elas estão despedidas. Ao invés de crescer e trabalhar em melhorar nós mesmos e nossas vidas, nós nos tornamos presos, mentindo para nós mesmos, usando todos os tipos de desculpas, e para quê?

13. Do seu passado

Tem um ditado que diz: “Quem vive de passado, é museu!” Mesmo que o passado tenha sido a melhor coisa do mundo e o futuro assustador, esqueça-o. O momento presente é tudo o que você tem e tudo que você irá ter na vida. É dele que depende o seu hoje e seu amanhã, em todos os sentidos.  Afinal, a vida é uma jornada, não um destino. Tenha uma visão clara do futuro. Prepare a si mesmo, mas sempre esteja presente no seu agora.

14. Do apego

Precisamos aprender com a natureza a desapegar, a deixar para o mundo o que é do mundo, como os passarinhos fazem quando seus filhos aprendem a voar. Porque quando se apega a algo, há o sofrimento ao ter que desapegar, o medo de não ter isso de volta e tantas outras coisas que passam pela cabeça e isso, sim, é desnecessário.

15. De viver sua vida através das expectativas de outras pessoas

Fechando com chave de ouro esta lista e depois de aprender a aplicar todos outros 14 itens, podemos ser bem práticos aqui: A VIDA é SUA, quem vive ela é VOCÊ e mais ninguém. Nem seus pais, avós, pastor, presidenta da república sabem fazer isso melhor do que você. Ocupe-se em agradar aquilo que você se propôs, conheça seus limites, evolua por si mesmo, e aconteça.

Como conselho nunca é demais, tio Steve Jobs nos ajuda a fechar isso lindamente:

“Tenha coragem de seguir o que seu coração e sua intuição dizem. Eles já sabem o que você realmente deseja. Todo resto é secundário.”

Saiba mais