Posts

Excesso de comunicação gera poucos resultados.

Como melhorar os resultados em comunicação na crise (e fora dela)

É muito comum ver empresários desesperados porque suas estratégias de comunicação na crise (ou para sair dela) não atingiram os resultados  pretendidos.

O fato é que todos os dias se criam novas ferramentas e mídias digitais para os mais diversos objetivos e usos. Muitas pessoas e empresas utilizam em excesso para se comunicar, saber novidades e, claro, conhecer novas marcas, produtos e serviços. Elas acreditam que se não tiver em todos os lugares, você certamente estará perdendo espaço, visibilidade e rentabilidade. 

Aí temos de um lado, as grandes empresas contratando várias agências especializadas em diferentes mídias e gastando milhões e com resultados fracos. E do outro lado tem o pequeno empreendedor, que além de cuidar do administrativo, dos produtos, dos colaboradores, da concorrência, ainda tem que arranjar tempo para criar e cuidar de contas em todas as redes sociais possíveis, fazer promoções, propagandas…..

UFA, parece bem desgastante e impossível não é mesmo?

Independente do tamanho da empresa, todo este excesso de ações desordenadas resulta grandes perdas de DINHEIRO, TEMPO E ESFORÇO (seja de equipe ou estrutura). E mesmo que tenhamos ferramentas comprovadamente relevantes, elas não são auto-suficientes para reverter esta situação.

Se você se viu em alguma das situações, não se preocupe….Você não está sozinho. Porém, tenho que lhe dizer que você está fazendo isso errado. MUITO ERRADO.

Acredite:  Crise é o MELHOR momento para alavancar vendas e resultados. Sabe por quê? Porque todas as pessoas compram produtos/serviços que a ajudem a solucionar suas necessidades. E em crise, as pessoas tem mais necessidades e por isso, a busca por SOLUÇÕES PARA OS SEUS PROBLEMAS aumentam significativamente. E se tornam mais criteriosa e focada. 

Assim sua comunicação na crise deve focar em mostrar como sua marca e seu produto é a solução certa para este público. A melhor estratégia para atingir isso é deixar de ser um Rambo (e atirar/divulgar para todos os lados) e se tornar um atirador de elite, onde seu produto se torna a melhor solução para o seu público ideal. 

E quem vai te mostrar como fazer isso não é a ferramenta, mas o seu público-alvo.

A Internet, os smartfones, tablets, permitiram estarmos conectados em vários lugares ao mesmo tempo, recebendo e trocando informações quase que 24 h por dia com todos e sobre tudo. Porém, mesmo quem adora uma novidade e inovação, tem suas ferramentas  preferidas e contextos específicos para utilizá-las. Por isso que é preciso conhecer a fundo seu público-alvo. Para saber exatamente o seu perfil, comportamento, preferências (em mídias) e usar estas informações a seu favor  para ter os resultados esperados.  

Se o seu produto tiver um publico-alvo onde a maioria utiliza redes sociais à noite, não adianta você criar uma promoção relâmpago às 14h da terça-feira, investir pesado em propaganda online (Google Adwords, por ex), se o seu público NÃO ESTARÁ LÁ para conhecer ou participar desta ação.

Independente se você já tem um negócio ou pretende ter um negócio em breve, antes de focar no seu produto e na sua próxima campanha de marketing e vendas para ele, foque em descobrir quem é o seu público IDEAL.

Lembre-se: As pessoas sempre querem ter as melhores soluções para resolver os seus problemas. Na crise, isso aumenta significativamente.  E o foco do seu negócio deve ser  reconhecido A ” Melhor Solução”. Isso vai além de usar as melhores ferramentas de marketing e comunicação, mas sim descobrir quem é e como ele se comporta para estar sempre a frente do seu mercado e com resultados.

Acredite: Nenhuma outra estratégia vai ser tão eficiente para os seus resultados se você não souber para quem está vendendo.

Agora, se você quer uma solução rápida para melhorar sua comunicação na crise (afinal você chegou neste artigo por isso) e você já sabe quem é seu Público Ideal, é essencial passar por 4 etapas:

  1. Visibilidade = A arte de Atrair os clientes certos com as estratégias certas
  2. Engajamento / Relacionamento = Mostre a marca que o seu cliente quer ter. Continuamente.
  3. Conversão = Transformando relacionamento em resultados
  4. Fidelização = Como se tornar REFERÊNCIA de mercado

Estas são as etapas da nossa Metodologia na Prosa Interativa. Para saber mais e ter mais resultados na sua comunicação na crise (ou fora dela), acompanhe os nossos posts nas categorias de cada etapa ou entre em contato no final deste link.

 

A hora e a vez do marketing esportivo brasileiro

Com a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 batendo na porta, todo o mercado de comunicação, de marketing e entretenimento tem se voltado cada vez mais para planos e estratégias completas, arrojadas e focados para esta área. Muito mais que apenas patrocinar estes eventos, seus jogadores, os clubes, as empresas estão criando novas demandas e novos mercados para poder pegar fatias significativas do mundo do esporte.

Vejam, por exemplo, como o  portal Terra no Brasil, na conversa com seu diretor Paulo Castro está se preparando para este novo contexto:

Para entender melhor isso, peguemos os últimos acontecimentos s dentro deste mercado, como o noticiado pelo  jornal Advertising Age em dezembro passado : Por que tantas agências estão pegando a estrada em direção à São Paulo? onde aponta os dois principais eventos esportivos mundiais como um dos causadores.

Nesta matéria temos o caso de uma agência de San Francisco, que irá lançar uma nova unidade de negócios voltada para atuar como uma consultoria para marcas norte-americanas interessadas em investir no Brasil. E outro caso de uma personalidade que já mostrou que não vai deixar estes eventos passarem em branco, atende pelo nome de Ronaldo Nazário de Lima.

Em 2010, ele anunciou a parceria com a gigante da comunicação WPP (que possui grandes agências no seu grupo como a Ogilvy, JWT, Y&R) que resultou na 9ine – empresa de consultoria em markerting esportivo e entretenimento.  Uma das suas primeiras grandes ações já em 2011 foi a contratação do lutador campeão de peso médio do UFC, Anderson Silva.

Para não dizer que o foco é apenas no futebol, esta semana foi divulgado o Bradesco como novo patrocinador do Rugby brasileiro, onde, junto com a Topper e também de olho em 2016, pretende dar mais visibilidade a este esporte.

Aos poucos, tomamos conhecimento de alguns desses projetos arrojados e agressivos e percebemos que tanto o internamente como globalmente, estes eventos esportivos será apenas o começo de um novo contexto e de um novo mercado.