Nesta série de textos ‘Como gerar valor ao seu cliente através da sua startup’’ você acompanha no Blog da Prosa Interativa todo o processo de elaboração de propostas de valor para seu modelo de negócios, como as Dores do Cliente. Entenda quais são as questões e problemas que ele sofre e como você/seu produto atua para resolver este problema.

A grande maioria dos empreendedores, sejam de startups ou não, criaram seus negócios para resolver algum problema, muitas vezes vividos por eles mesmos ou pessoas próximas à eles.

Peguemos como exemplo o Airbnb, onde os 3 fundadores, sem dinheiro para pagar o aluguel do apartamento onde moravam e à procura da “grande ideia” para iniciar seu empreendimento, acharam a oportunidade ideal para começar seu negócio: uma conferência de designers na cidade. Como grande parte dos hotéis da região estavam com lotação completa, decidiram alugar alguns espaços dentro do apartamento deles como a sala, cozinha e quarto dos fundos – além de um colchão inflável*. E hoje temos o Airbnb como maior plataforma de economia compartilhada do mundo, não é incrível?

É essencial que o empreendedor pesquise, analise com detalhes sobre as dores do cliente para não investir tempo, dinheiro, infraestrutura parruda e equipe em projetos que não tem fit com as prioridades do cliente. Acredite: Nem sempre um problema que você vivenciou pode ser um produto de sucesso. Por isso pesquisar continuamente sua persona é a melhor solução.

As dores são divididas em:

  • Dores Funcionais – Diz respeito a plataformas ou soluções que não operam como deveriam, falhas ao cumprir tarefas ou uma possível execução mas com efeitos colaterais que incomodam seu cliente, como por exemplo: um site não responsivo, um aplicativo com defeito no sistema.
  • Dores Sociais – Quando o problema afeta a personalidade do cliente, a forma como ele se relaciona e se mostra ao outro fica prejudicada, como não conseguir encontrar tamanho adequado de roupas.
  • Dores Emocionais – Assim como as sociais envolvem a personalidade, mexe com o emocional, o desejo do cliente, fazendo-o se sentir mal ao executar as tarefas, exemplo: sair para fazer compras e não ter um espaço para deixar as crianças, ir a um restaurante em que não há muita variedade e dessa forma alguém da família pode sair insatisfeito.
  • Dores Secundárias – Quando uma dor ou problema atrapalha o dia-adia do cliente ou o faz remanejar todas as suas demais atividades no dia por que tem que ir naquela loja por causa de um defeito no produto, ou ter que ir mudar seu percurso porque no caminho que costuma utilizar as sextas feiras tem uma casa de shows que atrapalha o fluxo de trânsito na rua, por exemplo.

Assim como as tarefas, as dores do cliente tem grau de importância. Umas são mais incômodas e requerem uma solução imediata e outras não exigem tanta atenção.

Se você gostou do conteúdo, veja também o primeiro texto da série Como gerar valor ao seu cliente através da sua startup.